Aéreo e LCL: como escolher entre os 2?

Dois tipos de importação em um universo com n possibilidades: como escolher entre aéreo e LCL é uma dúvida recorrente para quem é importador. 

Fazer o corte entre essas opções e saber os prós e contras de cada uma pode proporcionar uma economia de custos, não só financeiro, mas também de tempo (agilidade e rapidez nas operações, por exemplo). 

Por isso e por outros detalhes que ainda serão contados neste artigo, iremos lhe ajudar a tomar a melhor decisão na hora de contratar o seu frete internacional. 

O que é Importação Aérea? 

Modalidade de transporte realizada por aviões (e, obviamente, aeroportos), a Importação Aérea é uma fatia importante no Comércio Internacional. 

 

É regulada pela Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA) criada em 1945 e que, desde então, controla os embarques de cargas perigosas, pesos e alturas máximos permitidos, embalagens, entre outras questões. 

No que tange aos documentos, o Conhecimento de Carga é conhecido como AWB (Air Way Bill). Também pode ser Master Air Way Bill (MAWB – entre agente da origem e o agente no destino) e House Air Way Bill (HAWB – entre exportador e importador). 

É muito comum usar este tipo de modalidade quando há: 

O que é Importação LCL? 

Uma Importação LCL, que é sigla para Less than a Container Load (carga menor que um contêiner, em tradução livre), é aquela em que o importador não consegue preencher um contêiner inteiro e, dessa forma, precisa contratar um espaço junto com outros importadores, em uma mesma unidade de carga. 

O frete então é rateado (e todas as outras despesas correlatas) entre os importadores daquele mesmo contêiner, tornando o processo mais barato do que um FCL (Full Container Load) que, em teoria, é o padrão. 

Na chegada ao destino o contêiner é desovado para que cada importador possa retirar a sua carga após o desembaraço. Portanto, sugere-se usar essa opção de importação para mercadorias que não sejam muito frágeis ou de alto valor agregado. 

Como escolher entre Aéreo e LCL? 

Em uma época de falta de contêineres, falta de espaço e fretes elevados, é normal que outras possibilidades sejam levantadas. Seja para diminuir custos, possíveis prejuízos com atrasos ou até mesmo a dificuldade em embarcar em algum determinado momento. 

Sendo assim, antes de fechar qualquer frete internacional, um bom checklist do processo que você tem em mãos pode lhe ajudar na tomada de decisão que pode levá-lo ao sucesso. 

Vejamos quais são os itens a se atentar e como escolher entre aéreo e LCL nos tópicos em seguida. 

Urgência 

De modo geral, quando algo é urgente, é porque alguém deixou de fazer o que deveria ter feito no tempo hábil, logo, virou uma bola de neve. 

 

Mas essa sentença nem sempre é verdadeira. Imprevistos acontecem, seja na fábrica, na loja, ou em qualquer lugar de uso de um determinado produto. Uma peça de uma máquina superimportante pode quebrar repentinamente (em um cenário no qual ela deveria durar muito mais). 

É aí que entra a Importação Aérea. 

A consolidação do embarque aéreo é mais rápida. Uma vez que em geral o deadline de entrega da carga pronta é mais curto, estendendo até a preparação do embarque. 

O transit time (ou tempo de trânsito) é muito mais curto do que um embarque LCL. Afinal, sabemos que um avião é muito mais rápido que um navio (mas o óbvio sempre precisa ser dito). 

A liberação de um embarque aéreo também é mais rápida, pois a carga vem de certa forma separada fisicamente, nos lotes já pré-determinados na origem.  

Segurança 

Cargas de alto valor agregado que possuem dimensões, pesos e quantidades pequenas são sempre candidatas perfeitas para que embarquem de forma aérea. 

Isso porque a movimentação das cargas no aéreo é menor (podem acontecer turbulências, mas na maior parte do tempo o voo é estável), o que é muito diferente no marítimo, já que o mar é volátil. Apesar dos contêineres ficarem “presos”, as cargas podem “trabalhar” dentro do contêiner, causando avarias, menores ou maiores, dependendo do movimento. 

Existe um maior controle do importador no modal aéreo do que em um embarque LCL, principalmente por causa do recinto em que a carga ficará após chegar no destino. 

No aéreo é comum a carga ficar no aeroporto, aguardando a liberação aduaneira, enquanto no LCL a carga irá para um recinto à escolha do agente e este recinto pode, em alguns casos, não ser do agrado do importador. 

Custos 

De forma quase unânime, o embarque LCL é infinitamente mais barato do que um processo aéreo. 

Se você precisa diminuir custos e não se importa com os prazos, que geralmente são maiores (embarques, trânsitos, chegadas, disponibilidades de entrega etc.), a Importação LCL é para você. 

No Aéreo os custos são elevados em razão da demanda (rapidez e alto valor vs. demora e mais barato) e da capacidade do avião. O frete de um navio rateado entre os contêineres oferece um menor valor se comparado ao tamanho de um avião e sua capacidade de carga. 

Dimensões e pesos 

Este aspecto varia muito conforme cada agente. Então, quando for contratar o frete internacional é sempre interessante perguntar ao seu parceiro logístico qual corte ele considera ideal para utilizar o embarque LCL, um aéreo, ou até mesmo o FCL. 

 

Aqui, as dimensões e pesos andam juntas ou com a urgência do processo ou com a redução de custos. Não há motivos para pagar mais no frete aéreo se uma mercadoria não for urgente, só porque o volume e peso foram aceitos, por exemplo. 

Em resumo, a comunicação com o seu agente de cargas é fundamental para um bom planejamento. 

Conclusão 

Cada tipo de embarque apresenta vantagens e desvantagens que precisam ser estudadas antes de cada processo. Pode até ser meio clichê dizer isso, mas infelizmente é a realidade do Comércio Internacional atual. 

E para isso, conte com a AGL para lhe ajudar a decidir qual tipo de embarque é mais rentável para você importador. 

Entre em contato com a nossa equipe e saiba mais. 

Mais notícias

A consultoria logística na indústria de automóveis! Conte com a AGL Cargo

Você sabia que o Brasil é o sexto maior mercado de veículos do mundo? A indústria automotiva possui uma enorme importância no país, tanto que representa cerca de 23% do PIB industrial. Por conta de sua complexa rede de produção, o segmento automotivo também movimenta toda uma cadeia produtiva relacionada a maquinários, equipamentos eletrônicos, tecnologias […]

Principais notícias de Comex no mês de junho!

Confira as principais notícias dos últimos dias referentes a comércio exterior e logística internacional. Alerta de greve interrompe atividades em portos alemães O sindicato Verdi iniciou uma greve de alerta que afetou portos importantes na Alemanha, como Hamburgo, Bremen, Bremerhaven, Brake e Emden. Trabalhadores dos terminais portuários interromperam suas operações por cerca de um dia, […]

O que é AOG e como funciona?

A aviação de carga desempenha um papel vital no comércio global há décadas, evoluindo constantemente para atender à crescente demanda por entregas rápidas e confiáveis entre países e continentes. Desde o uso pioneiro de dirigíveis e hidroaviões nas primeiras décadas do século 20 até as atuais frotas inteiras de cargueiros avançados, o setor expandiu e […]

Como a escolha do INCOTERM afeta as suas importações?

No momento da negociação com um fornecedor internacional para importar um produto, uma das etapas cruciais é a definição do Incoterm. Dominar o que este nome significa e entender suas diversas siglas é indispensável para que o importador possa realizar uma compra adequada, já que esses termos estabelecem responsabilidades específicas envolvendo aspectos logísticos, aduaneiros e […]